segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Dr. Edison Cattete Reis

Dr. Edison Cattete Reis

Primogênito de Astolfo Francisco dos Reis e Maria Cattete Reis, Edison Cattete Reis nasceu no em 18/09/1923. Onze dias antes, em 07/09/1923, a antiga  Freguesia de Sant'Anna do Sapé que pertencia ao município de Ubá, teve o nome reduzido para apenas SAPÉ. E em 1943 o Distrito do Sapé teve seu nome modificado para GUIDOVAL, a cidade natal que Edison tanto exaltava.
Ainda pré-adolescente, aos 13 anos, foi estudar, em regime de internato, no Colégio Anchieta, escola mantida pelos padres jesuítas em Nova Friburgo, no estado do Rio de Janeiro. E lá, fez o antigo ginásio e o curso clássico de 1936 a 1941.
Formado em Letras neo-latinas, foi copidesque no Jornal do Commercio de 1957 a 1974, e escrevia crônicas que eram publicadas nos grandes jornais do Rio de Janeiro como O Globo e Jornal do Brasil, nas décadas de 40 e 50.
As suas primeiras atividades profissionais foram na Pan-Filmes, Livraria Católica, Jornal do Comércio e PUC (1941/43). Trabalhou ainda como redator na Imprensa Nacional (1944/46),
Através de concurso público foi admitido em 1947, como auxiliar administrativo no IBGE, onde fez uma carreira vitoriosa.
Participou na organização da infraestrutura dos Congressos Internacional e Interamericano de Estatística em 1955. Também foi assessor auxiliar e chefe de gabinete da Presidência, além da própria chefia de gabinete da Secretaria geral do Conselho Nacional de Estatística.
Mesmo no período da ditadura militar, o IBGE nunca deixou de publicar nenhuma informação útil ao povo brasileiro. Trabalhou por 44 anos no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aposentando-se 1991.
É autor de dois livros: “Entre o que foi e o que virá” (2005) e “Viva Guidoval, imortal!” (2009) que reúne as suas crônicas publicadas e conta histórias sobre a nossa Guidoval. Os livros são dedicados à esposa Neuza com quem viveu mais de 50 anos de casado e aos filhos Mônica, Marcos e Edson Jr.
Mesmo saindo tão cedo da nossa cidade, nunca se esqueceu da nossa terrinha, do Rio Chopotó, Marlière, nossas ruas, praças, bandas de músicas e times de futebol.
Dr. Edison Cattete Reis faleceu no 1º de junho de 2011, aos 87 anos.
            Durante a Festa de Santana, deste ano, a sua filha Mônica, primogênita, me presenteou com os dois livros e me pediu para publicar os seus textos no BloGuidoval e no Grupo “Quintal de Guidoval”. Uma forma de eternizar as palavras, pensamentos e ações do Dr. Edison.
Eu já havia divulgado um pouco do talento de escritor do Dr. Edison quando escrevi o artigo, uma resenha, intitulado “Um guidovalense notável” que foi publicado em dezembro/2005 no JORNAL DE GUIDOVAL, dirigido pelo meu irmão, o Professor Marcílio Vieira. O link para ler o artigo é http://www.devieira.com.br/jornaldeguidoval.com/dr_edison_12.htm

A partir de hoje, começo a cumprir o prometido à Mônica.

Nenhum comentário: