segunda-feira, 7 de março de 2011

Carnaval no Quintal

Dia 08 de março, terça-feira de carnaval, Dia Internacional da Mulher, a minha irmã Sueli Vieira inventou de inventar um botequim “0800” na varanda da cozinha da casa nossa mãe, Dona Tita.

Aí aparece um amigo, surge outro e mais outro.
Papo vai, papo vem, quando menos se espera, tá formada a folia. Encheu-se a varanda, o jeito foi ir para o terreiro.

E do improviso, sem planejamento, de repente aconteceu o “Carnaval no Quintal”.

O Jáder Mendes veio acompanhado de seu Sax Soprano e muito talento.

O Marcílio, meu irmão, e Aloísio Pinheiro improvisaram umas percussões com banquinhos e vasilhames de cozinha.

A Lourdes (minha esposa), o Marcilinho (meu sobrinho) e a Soraia (minha prima) atacaram de Maracas. Eu desembrulhei o meu Di Giorgio e me pus a trabalhar.

O Juscelino preparou umas tilápias e o seu genro Danilo ficou encarregado de gelar as cervas. Pinga não faltou.

O Alexandre Amaral tomou conta do churrasco.

O Luiz Pinheiro embevecido ficou quando viu juntos, de novo, Eduardo Geraldo, Marquim do Leon Denis, Aloísio e Jáder, companheiros de velhos carnavais. O Maestro Oswaldo José de Barros (Sô Tute) ensinou a teoria musical a estes meninos, mas a o professor prático foi o Maestro Luiz Pinheiro.

Cantamos marchinhas, sambas e marchas-rancho. Não faltaram as tradicionais “Máscara Negra”, “Bandeira Branca”; “Pastorinhas”; “Mamãe eu quero”; “Turma do funil”; “Saca-Rolha”; “Cachaça”; “Jardineira” e outras...

Teve também chorinhos: “Por que choras Saxofone?”, “Noites Cariocas”, “Pedacinhos do céu” e até o atrevimento de arriscar um “Espinha de Bacalhau”. E, ainda, do mestre Pixinguinha não podia faltar o “Carinhoso”.

Brilhou o coral feminino com Olga Pinheiro, Elaine e Mile Ramos, Rose, Sueli, Nathália e Ângela Vieira.

A Professora Aracy Franco Ribeiro compareceu com os filhos Ronaldo e Kléber.

O Jairo Mendes chegou mais tarde e nos brindou com o seu humor e simpatia.

A Therezinha veio com a filha Beatriz, nova universitária, que passou no vestibular em diversas universidades. Escolheu a Universidade Federal Fluminense (UFF) para fazer o seu curso de Engenharia Química.

As crianças Maria, Sofia e Artur, indiferentes à algazarra, passeavam pelo terreiro.

A Denise Foureax deu o ar de sua graça, trazendo junto a filha Alícia.

Os jovens Carlos Roberto e (???) ficaram só observando.

Isto é carnaval! Emoção, alegria, improviso, confraternização.

É muito bom ter amigos e faltaram muitos para a festa ser completa.

Mas ano que vem tem mais. E quem sabe...???

Para ver algumas fotos do encontro é só acessar
https://picasaweb.google.com/ildefonsovieira/CarnavalNoQuintal#

# # # # ##

vídeo da música
Carnaval em Guidoval

video

vídeo da música Carinhoso

video


vídeo (Youtube) da música
Carinhoso



2 comentários:

Anônimo disse...

Oi Dé,
Gostei do carnaval no quintal.
Não faltou o coral feminino,principalmenta a voz afinada de uma loura que se destacou entre as demais.Pessoal animado,parabéns pela idéia

Maria José Baía meneghite
Jornal Leopoldinense
Leopoldina,MG

Anônimo disse...

Dé,
Esqueci de dizer que os músicos estiveram ótimos, e os percussionistas como o Marcílio deram o recado direitinho.
Abraços
Maria José Baía Meneghite